Vídeos

[Videos] [threecolumns]

Falando de Salvação

[salvação][twocolumns]

O PARADIGMA DA LIDERANÇA IMITADA


Tragicamente, o modelo que com frequência se mostra para a liderança eclesial, é tomado do mundo corporativo de negócio. O paradigma que se utiliza é um paradigma gerencial, no qual o motivo impulsor para um líder eclesiástico é formular uma meta definida e traçar graficamente um programa estratégico, mediante o qual se tenta atingir essa meta.

Deste modo a igreja ficou amarrada no organizacionalismo aerodinâmico da cultura estadunidense corporativa. Como resultado, os cristãos balizaram métodos de liderança seculares e os imitaram como sendo biblicamente válidos.

Para dizê-lo em forma simples, nossa moderna noção da liderança eclesial se encontra culturalmente cativa do espírito desta era! Vendo que, no que diz respeito à liderança, o grande peso do ensino bíblico se perdeu nas noções prevalecentes de nossa cultura, precisamos reclamar a base bíblica sobre este assunto.

Faria-nos bem recordar que a metáfora principal traçada na Bíblia sobre a igreja não revela uma organização, mas um organismo. Assim, a metáfora corporativa é uma metáfora tergiversada. A principal metáfora para a igreja é uma família vivente. Por esta razão, o modelo bíblico para a liderança cristã é o de uma mãe e de um pai. Leia 1° Tessalonicenses 2:6-12.

Não obstante, até mesmo a imagem paternal de liderança pode ser deformada e convertida em prosa fria, se não for considerada sob o pano de fundo do sacerdócio geral de todos os crentes e de nossa relação primária de uns para com os outros, como irmãos e irmãs. Leia Mateus 23:8.

Dito claramente, os líderes da igreja neotestamentária dirigiam de uma maneira não hierárquica, não aristocrática, não autoritária, não institucional e não clerical.

Ademais, a liderança que se visualiza no Novo Testamento é principalmente funcional, e relacional. Ter a liderança da igreja local funcionando conforme os mesmos princípios que regem um executivo corporativo num negócio ou um aristocrata num sistema de casta imperial, não foi nunca o conceito do Senhor. É por esta razão que os autores neotestamentários nunca optaram por usar metáforas hierárquicas nem imperiais para descrever a liderança eclesial.

Os líderes da igreja neotestamentária são mais descritos como servos e como crianças, do que como senhores e amos. Leia Lucas 2:25

Embora esta maneira de pensar entre em conflito direto com o conceito popular de autoridade de hoje em dia, ela engrena perfeitamente com o ensino bíblico do Reino de Deus, uma esfera em que os débeis são fortes, os pobres são ricos, os humildes são exaltados, e os últimos são primeiros.


Postar um comentário
  • Blogger Comente
  • Facebook Comente
  • Disqus Comente

Nenhum comentário :